Uma mão puxando uma pessoa coberta de papeis em fundo azul.
Como se livrar de dívidas rapidamente.

Se você não sabe como sair das dívidas, aqui você saberá como fazer isso de forma prática e eficaz, vem comigo!

Ter dívidas é algo que o impede de realizar sonhos e de ter tranquilidade financeira. Todo mundo passa por momentos difíceis.

Principalmente quando se trata de dificuldades financeiras, a família fica desestruturada e você acaba ate mesmo perdendo o sono por isso.

No entanto, para resolver a situação de suas finanças, você precisa traçar um plano de ação e agir rapidamente.

Pois esperar por um milagre não é a solução, requer ação, foco e determinação para mudar esse cenário atual. Descubra como eliminar dívidas:

Realize um diagnóstico com a sua real situação financeira.

Desenho com fundo azul e um porquinho rosa com medidor cardíaco de cor rosa com uma prancheta ao lado e 2 homens de terno segurando uma prancheta
Realize um diagnóstico com a sua real situação financeira

Portanto para saber como sair do débito rapidamente, é importante diagnosticar sua real situação.

Anote em uma planilha ou até mesmo no papel, o quanto você deve e a quem, no final de cada dívida, é importante escrever também qual o motivo dela.

Lembre-se de colocar o valor inicial, o valor total do saldo devido, e não se esqueça de adicionar os juros que são cobrados pelo credor.

Além disso, realize uma pesquisa junto aos serviços de proteção ao crédito, uma forma simples é realizar uma consulta através do site ou aplicativo da Serasa, lá você terá informações como: cheques sem fundos, dividas que já estão vencidas e que não foram pagas, protestos, dentre outros.

Além disso, no aplicativo da Serasa, eles disponibilizam notificações com oportunidades de negociações, além de ofertas com um bom desconto para você quitar a divida e ter o seu nome limpo de volta.

Priorize as dívidas mais caras, é por elas que você deve começar.

Um desenho com uma mulher de terno em volta de animação de carro, nuvens, porquinho, livros, casa, carões e guarda chuva, sentada em uma mesa com café, celular, papeis, caneta e calculadora.
Priorize as dívidas mais caras.

A dívida rotativa do cartão de crédito e o cheque especial são algumas das que cobram taxas de juros mais altas, dentre as mais variadas alternativas no mercado.

Ter um cartão de credito é um desejo de muitos, principalmente para os jovens, mais não é só ter um cartão, você deve tomar alguns cuidados, para que esse sonho não se torne um grande pesadelo das finanças.

Além do mais, alguns cuidados devem ser tomados, contrair divida no cartão de credito sem planejamento financeiro, pode lhe trazer junto com as faturas grandes dores de cabeça.

Por exemplo, você ate tem um dinheirinho, mais opta por gastar com outras coisas e parcela uma determinada compra que você quer muito. No terceiro mês após essa compra surge algum imprevisto e você não consegue pagar a fatura do mês.

Assim também, no mês seguinte chega a fatura novamente, dessa vez acompanha com juros referente ao atraso do mês anterior.

Então, considere até mesmo trocar essas dívidas por uma mais barata se você não tiver recursos para saldá-las em dinheiro.

Uma alternativa para essa situação é buscar um credito junto a alguma instituição financeira que esteja com juros mais baixos do que os que são cobrados nas suas dívidas, requer então uma atenção, estude e analise as taxas.

Negociar

Depois de avaliar a situação e descobrir quais dívidas devem ser priorizadas, é hora de começar a trabalhar.

Evite intermediários: apostar no serviço de empresas que renegociam dívidas, aumenta consideravelmente o custo para quem tem dívidas.

Não é preciso esperar o atraso e o inadimplemento dos contratos de financiamento para buscar uma forma de negociar.

Os financiamentos de automóveis e imóveis podem ser negociados dentro da instituição ou transferidos para outras que ofereçam taxas de juros menores e melhores condições em geral.

As dívida que são mais “caras” e que tem altas taxas de juros, coloca o patrimônio em risco, por tanto devem ser priorizadas.

Não tenha vergonha de pedir descontos e não desista de apresentar uma contraproposta ao credor.

O importante é que o acordo que foi feito possa ser cumprido dentro do prazo combinado.

Honrar o pagamento.

Após formalizar o acordo com a instituição credora, é importante honrar o parcelamento. Caso contrário, o credor pode inscrever seu nome no cadastro de inadimplência, além de ter que pagar juros.

Além disso, perdera credibilidade no local, caso você volte a precisar renegociar, os mesmos poderão não querer lhe oferecer melhores opções devido a quebra de confiança.

Por outro lado, se você cumpre com o que foi acordado, efetuado o pagamento até a data acordada e futuramente você precisar renegociar, de certo modo, você terá a confiança desse estabelecimento e as chances deles flexibilizarem o pagamento pra você será bem maiores.

Organização financeira.

Quando as despesas excedem a receita, você precisa se organizar financeiramente. Cortando despesas desnecessárias, buscando uma forma de gerar uma renda extra e controlando o que está sendo desperdiçado.

Todas essas são medidas que ajudam a recuperar as finanças.

Neste momento é fundamental que todos os integrantes da família se unam, para se chegar ao objetivo que foi estipulado.

Planejar o pagamento de dívidas

Homem de camisa listrada escrevendo em pochetes em uma parede branca.
Planejar o pagamento de dívidas

Você pode estar se perguntado, qual o valor ideal a ser destinado em uma parcela, para que se encaixe no orçamento considerado saudável? Sugere-se que no máximo 30% das receitas sejam comprometidas com parcelas de financiamentos ou empréstimos no geral.

Isso é devido ao não comprometimento de toda a sua renda, pois você tem outras partes da sua vida financeira que precisa esta adequada ao seu orçamento.

Ou seja, se você compromete a maior parte da sua renda com o financiamento do seu veiculo por exemplo, como você irá manter esse veiculo? Como irá pagar o supermercado? como conseguirá pagar sua conta de energia?

Sendo assim, é viável ter isso em mente, e checar suas condições atuais diante das suas dividas, para então saber se poderá fazer esse compromisso ou não.

Depois que você mapear as dívidas, é necessário fazer o fluxo de caixa, que nada mais é do que registrar tudo que entra, ou seja, as receitas e as saídas, que são as despesas.

Contudo, de nada servirá apresentar uma proposta de liquidação de dívidas sem conhecer o momento em que se encontra a sua vida financeira atual.

Portanto o pagamento de dívidas deve ser incluído em seu plano financeiro. De acordo com a gravidade do problema, reserve uma faixa de 15% de sua renda mensal para saldar dívidas.

Agora que você aprendeu como se livrar das dívidas, é hora de agir e dar o primeiro passo em direção a uma vida com mais tranquilidade.

Artigo anteriorRENDA VARIAVEL.
Próximo artigoComo começar a investir.
Meu nome é Dalila Lima, tenho 25 anos, graduada em administração de empresas e pós graduada em MBA em gestão de recursos humanos e desenvolvimento de equipes. Atualmente trabalho na gestão financeira de uma das maiores academias da minha cidade. Apaixonada pelo setor financeiro e econômico, sempre que tenho algum tempo estou me aprimorando e buscando tudo o que existe atualmente, a fim de agregar conhecimento e compartilhar com todos que desejam a tão esperada liberdade financeira. “Só uma pessoa pode mudar a sua vida: você”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui